Dia Mundial da Saúde – 7 de abril

Categoria(s):  Notícias, SAÚDE, Últimas Notícias   Postado em: 06/04/2018 às 15:17

O CRP-RJ comemora o Dia Mundial da Saúde com luta. Vivemos em um cenário de grave desmonte de políticas públicas, desvalorização, precarização e insegurança no campo da Saúde. Por essa razão, se faz mais do que necessário reafirmar o tema deste ano, escolhido pela Organização Mundial de Saúde (OMS): “Saúde para todos”.

Avaliamos que o tema não poderia ser mais adequado ao nosso país neste momento. Para alcançar esse objetivo – saúde para todos – em um país tão desigual, o CRP-RJ não tem dúvida de que precisa estar ao lado das (os) psicólogas (os) reafirmando o compromisso social com os usuários, debatendo a profissão, atuando nas diversas frentes de lutas e conquistando novos espaços.

dia_mundial_saude postA atuação de psicólogas (os) se faz cada vez mais ampla na Saúde e as lutas também se ampliam. Essa atuação ampliada, ao mesmo tempo, traz desafios teóricos e técnicos importantes. Nos últimos tempos, o CRP-RJ tem estado junto às (aos) psicólogas (os) na luta em defesa dos Institutos/Hospitais Federais (o Rio de Janeiro tem 12 desses institutos/hospitais e, em todos eles, existem psicólogos); no debate e resistência contra os retrocessos na Política Nacional de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas (com a defesa do tratamento em liberdade e o enfrentamento claro à proposta de Comunidades Terapêuticas), na Política Nacional de Atenção Básica (contra o fechamento de unidades básicas de família e núcleos de apoio a ESF), enfim, na luta por mais Saúde para todos: mulheres, homens, idosos, crianças, adolescentes, negros, LGBTs, população de rua, carcerária, etc.

Sabemos que, tanto no âmbito da saúde pública como na clínica privada, as (os) psicólogas (os) têm feito a diferença com seus olhares sobre a subjetividade e suas abordagens apoiadas nos Direitos Humanos. E isso nos diversos espaços de cuidado em saúde.

Por tudo isso, psicólogas (os) precisam ser valorizadas (os) através de vínculos de trabalho e remunerações adequados ao pleno exercício da profissão. A precarização não combina com o trabalho necessariamente delicado de profissionais de Psicologia.

Nessa linha, reafirmamos a nossa disposição em seguir apoiando as (os) psicólogas (os) do estado do Rio de Janeiro, que atuam na Saúde e/ou na clínica privada, para que suas atividades tenham cada vez mais qualidade. A Saúde só tem sentido se for para todas e todos. A Psicologia também.