Pré-Congresso do Maracanã elege 12 delegadas (os) e aprecia 13 propostas

Categoria(s):  COREP, Notícias, SOCIOEDUCATIVO   Postado em: 27/02/2019 às 12:52

O CRP-RJ promoveu, no dia 21 de fevereiro, no Maracanã, o 2º Pré-Congresso Regional de Psicologia da Zona Norte do Rio de Janeiro. Com ampla participação de psicólogas (os) e estudantes, o evento aconteceu no Instituto de Medicina Social da UERJ.

O encontro foi precedido por uma mesa de debates sobre o tema “Os Desafios da Prática da Psicologia na Socioeducação”. Mediado pelo conselheiro-coordenador do Eixo de Socioeducação da Comissão de Direitos Humanos do CRP-RJ, Juraci Brito da Silva (CRP 05/28409), o debate contou com a presença de Anna Paula Uziel, professora do Instituto de Psicologia da UERJ, e Rosimar Miranda Machado (CRP 05/21176), psicóloga do CRIAAD de Niterói, psicopedagoga e terapeuta de família.

IMG_6069

Rosimar (ao microfone), Juraci e Anna Paula na mesa de debates

Rosimar Machado abordou brevemente a atuação no equipamento onde atua, o CRIAAD – um dispositivo de semiliberdade do DEGASE – e destacou a importância da rede no trabalho realizado junto aos adolescentes. “No CRIAAD, o adolescente passa o dia na unidade, mas ele estuda na rede, vai ao médico na rede, vai ao CAPSI na rede, quer dizer, grande parte do trabalho é realizado do lado de fora. O adolescente cumpre medida no CRIAAD, mas está inserido na rede de serviços”, apontou.

Segundo a palestrante, é comum, dentro dos espaços da Socioeducação, haver uma “desqualificação do trabalho do psicólogo”. Para ela, isso acontece porque há “toda uma tentativa de desvalorização do trabalho socioeducativo de fato em prol de um viés punitivo. A questão é que nós não estamos lá para punir, pois os adolescentes já foram punidos; nós estamos lá para atender e cuidar”.

Anna Uziel sublinhou que o “encarceramento é uma aposta do Judiciário, não da Psicologia”. Conforme lembrou, “é o Poder Judiciário que promove a superlotação dos equipamentos de Socioeducação, mas, em momento algum, ele é convocado a se haver com isso. Precisamos pensar os desafios de nossa prática frente ao Judiciário, debatendo como convocar o Judiciário para dentro das unidades”.

IMG_6123

Delegação eleita no Pré-Congresso

Para a professora da UERJ, a atuação da (o) psicóloga (o) nesse campo é atravessada constantemente por uma “tensão entre o punir e o educar, entre o encarceramento e a defesa dos Direitos Humanos”. Por isso, conforme defendeu, a Psicologia precisa pensar sua atuação “para além de apenas cumprir as determinações do Judiciário”.

Após o debate, Marilia Álvares Lessa (CRP 05/1773), conselheira-coordenadora da Comissão Organizadora do 10º Congresso Regional de Psicologia (COREP) – que acontecerá entre 5 e 7 de abril no Rio de Janeiro – destacou que aquele era “o 18º Pré-Congresso de um total de 26 eventos que o CRP-RJ estava promovendo por todo o estado para garantir ampla participação da categoria”.

Em seguida, teve início o Pré-Congresso com a instalação da mesa diretora, leitura e aprovação do Regimento Interno do evento. Na sequência, aconteceu a eleição de delegadas (os) para o COREP. Foram eleitas (os) 12 psicólogas (os) efetivas (os) e uma suplente, além de um delegado estudante e outro suplente.

Por fim, houve a votação de propostas. Foram apresentadas 13 propostas, duas das quais aprovadas na íntegra, sete aprovadas com modificações, uma suprimida e outras três aglutinadas por terem conteúdo semelhante.