Novas comissões e eixos políticos são definidos na primeira reunião plenária da atual gestão do CRP-RJ

Categoria(s):  Notícias   Postado em: 04/11/2019 às 18:32

Viabilidade de uma subsede no Sul Fluminense também está sendo estudada.

Durante a primeira reunião plenária da nova gestão do CRP-RJ, ocorrida em 18 e 19 de outubro, na sede do CRP-RJ, as (os) novas (os) conselheiras (os) debateram o plano político para os próximos três anos e definiram a criação de novas comissões, núcleos eixos temáticos.

Foram criadas comissões de Psicologia Clínica e de Psicologia Organizacional e do Trabalho para aprofundar os debates sobre esses importantes campos de trabalho da (o) psicóloga (o). Foi restabelecida a Comissão de Estudantes e criada a Comissão de Formação e Liberdade de Cátedra, objetivando uma aproximação maior com o campo da formação acadêmica. Também foi criada a Comissão de Acompanhamento das Condições e Processos de Trabalho.

post (3)A Comissão Regional de Direitos Humanos (CRDH) ganhou novos eixos temáticos: além de Diversidade Sexual, Laicidade e Relações Raciais, a CRDH contará com os eixos de Infância e Juventude, Gênero, Violência de Estado e Enfrentamento à Tortura e Álcool e Outras Drogas, ampliando, assim, a transversalização das ações e dos debates.

A Comissão Regional de Psicologia e Políticas Públicas (CRPPP) também ganhou núcleos temáticos para ajudar no trabalho desenvolvido pelo CRP-RJ no campo das políticas públicas. Educação, Saúde, Socioeducação, Assistência Social, Sistema Prisional e Segurança Pública, Saúde Mental, Sistemas de Justiça, Esporte e Mobilidade Humana tornaram-se, assim, os novos núcleos de atuação da CRPPP.

Às Comissões de Orientação e Fiscalização, de Análise para Título de Especialista e de Orientação e Ética – obrigatórias em todos os 24 Conselhos Regionais do país –, somou-se a Comissão Consensual de Mediação de Conflitos, criada a partir do novo Código de Processamento Disciplinar (CPD), que contempla a mediação como recurso para o cuidado à efetivação da ética profissional.

A regionalização e a descentralização do CRP-RJ também foram definidas como prioridades da nova gestão. Será fortalecida a atuação da Comissão Intergestora de Regionalização e Descentralização (CIRD) e das Comissões Gestoras das Subsedes da Baixada, Região Serrana e Norte-Noroeste.

Além disso, será criada uma Comissão Gestora para a Subsede do Leste Fluminense – localizada em Niterói – para ampliar a aproximação com as (os) profissionais da região. Também estão sendo feitos estudos de viabilidade para a implantação de uma subsede na região Sul Fluminense, conforme deliberado durante o 10º Congresso Regional da Psicologia (COREP).

Estão mantidas as comissões de Comunicação Social, Editorial, Licitação e Coordenadoria Técnica, e foi criada a Comissão de Acompanhamento do Planejamento Estratégico e das Deliberações COREP/CNP, como estratégia de gestão.

“Torna-se imperiosa a necessidade de construirmos uma política de gestão em nosso CRP para que estejamos cada vez mais próximos das demandas da profissão e que possamos constantemente nos voltar para a atual conjuntura e nos posicionarmos contra os retrocessos em curso, no Rio de Janeiro e no Brasil. Tempos que conclamam a resistência e a luta, que só é possível se vivida nos coletivos. São as comissões, com seus eixos e núcleos, que nos permitem colegiadamente cumprir as diretrizes apontadas pela categoria nas instâncias democráticas de construção da profissão”, afirma Pedro Paulo Gastalho de Bicalho (CRP 05/26077), conselheiro-presidente do CRP-RJ.