Evento preparatório em Friburgo discute Ética e Direitos Humanos

Categoria(s):  COREP, DIREITOS HUMANOS, Notícias, SUBSEDE SERRANA   Postado em: 06/02/2007 às 16:24

No último sábado, 3 de fevereiro, o CRP-RJ realizou, em Friburgo, mais um evento preparatório para o VI Congresso Regional de Psicologia (COREP). Os psicólogos puderam tirar dúvidas sobre o processo de eleições para o Sistema Conselhos, que ocorre neste ano, e participaram de oficinas, visando discutir questões de Ética e de Direitos Humanos.

José Novaes, Conselheiro-Presidente do CRP-RJ esclareceu a importância dos eventos preparatórios e frisou a importância da participação dos profissionais da Região Serrana no processo de escolha de Delegados Regionais para as eleições nos Conselhos Regionais e no Conselho Federal de Psicologia.

Foto de Ana Carla Silveira.

Ana Carla Silveira, colaboradora da Comissão de Direitos Humanos do CRP-RJ, apresentou o documentário Estamira, com o objetivo de estimular o debate sobre Direitos Humanos.

Foto da oficina.

Oficina discutiu temas como o trabalho do psicólogo em equipes multiprofissionais, a observância dos profissionais aos contratos existentes para a categoria e as infrações cometidas por psicólogos sem adequado preparo para o exercício da profissão.

Durante a manhã, Ana Carla Silveira, colaboradora da Comissão de Direitos Humanos do CRP-RJ, apresentou o documentário Estamira, com o objetivo de estimular o debate sobre Direitos Humanos.

Em seguida, foi realizada a oficina “Ética para além das normas”, coordenada por Eliana Vianna, colaboradora da Comissão de Orientação e Ética (COE); Adriana Amaral, colaboradora da Comissão de Avaliação do Título de Especialista (CATE) e por Felipe Fonseca, estudante de psicologia.

De acordo com Eliana, embora a prática do profissional psicólogo seja o foco das reflexões e discussões, as oficinas não estão restritas apenas a estudantes e profissionais de psicologia. A coordenadora enfatizou que também considera como alvo todos aqueles que estejam ou tenham sido afetados por essa prática na sociedade em geral.

Durante a oficina, foram discutidos temas como o trabalho do psicólogo em equipes multiprofissionais, a observância dos profissionais aos contratos existentes para a categoria e as infrações cometidas por psicólogos sem adequado preparo para o exercício da profissão.

A principal questão debatida pelos presentes foi a quebra de sigilo profissional no atendimento clínico. José Novaes discutiu a importância dos artigos 9º e 10º do Código de Ética Profissional do Psicólogo, ressaltando a responsabilidade de cada profissional. De acordo com Novaes, a quebra do sigilo depende de cada caso, e passa por um posicionamento ético por parte de cada profissional: “É decisão livre do psicólogo manter ou quebrar o sigilo. Aí está a postura ética do psicólogo, é uma decisão que ele toma livremente, sabendo que deverá responder por seus atos”.

O Conselheiro-Presidente também destacou a importância da interpretação dos códigos: “Qualquer código de leis não tem aplicação automática. Todo código de lei deve ser interpretado”, disse Novaes.

Texto: Jean Souza

06 de fevereiro de 2007