Encontro para debater contribuições à referência técnica para atuação psi nas políticas públicas de esporte acontece na sede do CRP-RJ

Categoria(s):  ESPORTES, Notícias, POLÍTICAS PÚBLICAS   Postado em: 02/04/2019 às 10:14
IMG_6473

Conselheiro-presidente do CRP-RJ e membro da Comissão ad hoc que está elaborando a referência técnica

A Comissão Regional de Psicologia e Políticas Públicas (CRPPP) do CRP-RJ organizou, no dia 25 de março, na sede do Conselho, o evento “Políticas públicas de esporte: consulta pública sobre a referência técnica para a prática de psicólogas (os)”.

Voltado a psicólogas (os) – independentemente se atuam ou não no/com Esporte –, o encontro objetivou debater a futura publicação da Referência Técnica Para Atuação de Psicólogas (os) em Políticas Públicas de Esporte e reunir, presencialmente, as contribuições dessas (es) profissionais à consulta pública sobre o texto da futura referência.

Dando início ao encontro, Roberta Brasilino Barbosa (CRP 05/42501), assessora técnica da CRPPP, destacou o papel do CREPOP (Centro de Referências Técnicas em Psicologia e Políticas Públicas) na produção de referências técnicas às (aos) psicólogas de todo o país em diversas áreas de atuação.

“O CREPOP é o dispositivo do Sistema Conselhos de Psicologia em que se produzem essas referências técnicas. Já temos 17 referências técnicas publicadas em diversas áreas de atuação. Hoje, aqui, vamos fazer uma das etapas da construção de uma referência técnica, que é a consulta pública à categoria sobre a versão preliminar do texto”, afirmou.

Em seguida, Rodrigo Acioli Moura (CRP 05/33761), conselheiro-presidente do CRP-RJ e membro da comissão ad hoc que está elaborando a Referência Técnica, afirmou que o documento pensa o esporte como uma política pública integrada a uma rede que se relaciona com outras áreas, como educação, saúde, assistência social, sistema socioeducativo, entre outras.

IMG_6484

Renata (à esq.) e Roberta falam sobre a referência técnica

“O problema é que, quando falamos em esporte como política pública, nem todos os psicólogos que trabalham junto ao esporte se identificam nesse lugar, pois se veem mais comumente como profissionais que atuam no contexto do alto rendimento ou da atividade física”, ponderou.

Renata Parente Garcia (CRP 05/39953), psicóloga clínica e do esporte, especialista em Gestalt-Terapia e mestre em Psicologia Clínica pela PUC, sublinhou que “o esporte, para além do alto rendimento, tem uma potência gigante no desenvolvimento humano de competências e habilidades cognitivas e psicossociais” e, por isso mesmo, “envolve uma integração de conhecimentos diversos”. A psicóloga também lamentou o fato de que “muita gente nem saiba que a Psicologia do Esporte existe e nem conheça o trabalho que ela pode desenvolver nesse área”.

Após os debates, os participantes do encontro discutiram propostas e contribuições aos quatro eixos temáticos do documento. Todas as propostas debatidas foram compiladas e encaminhadas ao CREPOP Nacional para consideração da comissão ad hoc.