CRP-RJ realiza debate sobre Socioeducação e Assistência Social em Belford Roxo

Categoria(s):  ASSISTÊNCIA, COREP, Notícias, SOCIOEDUCATIVO, SUBSEDE BAIXADA   Postado em: 17/12/2018 às 10:14

baixada prep 1No dia 29 de novembro, o CRP-RJ, por intermédio da sua Comissão Gestora na Baixada, promoveu, na UNIABEU de Belford Roxo, a 31ª edição do “Rodas e Encontros” com a temática “A Socioeducação e a Formação em Rede”.

Promovido em parceria com a UNIABEU/Belford Roxo, SEMASC de Belford Roxo e o Fórum de Trabalhadores do SUAS, o debate serviu como evento preparatório para o 10º Congresso Regional da Psicologia do Rio de Janeiro (COREP), que acontecerá entre 5 e 7 de abril de 2019 na cidade do Rio reunindo psicólogas (os) e estudantes para o debate e a votação de propostas para a atuação dos Conselhos de Psicologia.

O evento foi aberto pela psicóloga do DEGASE e colaboradora da Comissão Gestora do CRP-RJ na Baixada Vanda Vasconcelos Moreira (CRP 05/6065) e mediado por Thiago Rodrigues (CRP 05/50505), psicólogo clínico e coordenador do Grupo de Estudos em Direitos Humanos da CVB-RJ.

A primeira fala do debate foi de Vicência Raposo (CRP 05/28868), psicóloga clínica e institucional da SEMASC, atuante no Conselho Tutelar e integrante Fórum Municipal dos Trabalhadores do SUAS. A psicóloga apontou a dificuldade inicial encontrada para a mobilização de trabalhadoras (es) da Assistência do município para integrar o Fórum. Segundo ela, “encontramos dificuldade de aglutinar trabalhadores para defender a nossa voz dentro do SUAS. E essa é a beleza do Fórum: potencializar a nossa voz, que não é singular, mas plural, em um espaço coletivo de militância e diálogo”.

baixada prep 2Mariana Baroni (CRP 05/50506), psicóloga e especialista em Atendimento Educacional Especializado, compartilhou sua experiência como professora na Rede de Educação Municipal de Belford Roxo e problematizou a violência que atravessa a Educação e a Socioeducação, que, segundo ela, está muito associada à prática da normalização da criança e do adolescente. “Quando pensamos na violência que acontece nos espaços da Socioeducação, e também na Educação, geralmente falamos sobre a violência praticada entre os alunos e entre os adolescentes em privação de liberdade, mas poucas vezes pensamos na violência institucional que acontece nesses espaços”, ressaltou a psicóloga.

Encerrando a mesa, Vanessa Xisto (CRP 05 /33298), mestre em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da UERJ, especialista em Saúde Mental pela UFRJ, psicóloga do DEGASE e da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos de Magé, destacou o cenário atual de retrocessos no campo dos Direitos Humanos e problematizou o papel da (o) psicóloga (o) dentro desse contexto. Em seguida, abordou o trabalho realizado junto a adolescentes em conflito com a lei dentro do DEGASE, que envolve não apenas a responsabilização pelo ato infracional como também um trabalho mais ampliado de acolhimento, cuidado e orientação.