Baixada recebe o 2º encontro regional sobre o trabalho da Psicologia na Socioeducação

Categoria(s):  Notícias, SOCIOEDUCATIVO, SUBSEDE BAIXADA   Postado em: 28/05/2018 às 11:24

Psicólogas (os) de diversos municípios da Baixada Fluminense marcaram presença, no dia 24 de maio, na Subsede do CRP-RJ em Nova Iguaçu, no 2º encontro do ciclo de debates regionais que percorrerá o estado do Rio de Janeiro até agosto para debater o trabalho da Psicologia na Socioeducação e formular propostas de diretrizes éticas e técnicas para a atuação psi na área.

Uma iniciativa conjunta do Eixo de Psicologia e Socioeducação da Comissão Regional de Direitos Humanos do CRP-RJ e do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (DEGASE), esse ciclo de eventos culminará na I Conferência sobre o Trabalho da Psicologia na Socioeducação (meio aberto e fechado), que acontecerá no dia 16 de agosto no Rio de Janeiro.

O psicólogo do DEGASE e conselheiro-coordenador do Eixo de Socioeducação do CRP-RJ, Juraci Brito da Silva (CRP 05/28409), deu início ao evento contextualizando as discussões sobre a atuação da (o) psicóloga (o) na Socioeducação no âmbito do Sistema Conselhos de Psicologia.

IMG_4877

Profissionais compartilham angústias e dificuldades em sua atuação na Socioeducação

“Em 2015, o Conselho Federal de Psicologia começa a discutir com mais afinco o exercício do psicólogo na Socioeducação e cria um grupo de trabalho nacional com representantes dos Conselhos Regionais para justamente pensar as questões que atravessam essa prática”, afirmou.

Viviane Siqueira Martins (CRP 05/32170), conselheira-secretária do CRP-RJ e integrante da Comissão Gestora da Baixada, observou a importância de “ter clareza sobre como está a Socioeducação no estado do Rio, como, de fato, se dá a atuação do profissional na ponta e como está a relação desse profissional com o Judiciário”.

Segundo a conselheira, “esse ciclo de debates tem o objetivo de pensar de que forma podemos, de fato, melhorar o atendimento ao adolescente, nossa atuação e nosso relacionamento com a sociedade, a família e os outros espaços da rede”.

Em seguida, a psicóloga do DEGASE e colaboradora da Comissão Gestora do CRP-RJ na Baixada Vanda Vasconcelos Moreira (CRP 05/6065) falou brevemente sobre o campo da Socioeducação e de como se insere o trabalho da (o) psicóloga (o). Ela também abordou a necessidade de inclusão dos conteúdos teóricos e práticos sobre Socioeducação na matriz curricular dos cursos de Psicologia em nível nacional. “Identificamos essa carência de saberes nos estudantes que chegam para estágio e nos novos profissionais que ingressam  no Sistema Socioeducativo  para o atendimento aos adolescentes e suas famílias”, afirmou.

Diante desse fato, foi realizada uma pesquisa sobre essa carência de conhecimento, sendo consultados  profissionais de vários estados e confirmada a defasagem de conteúdos sobre o trabalho na Socioeducação. Essa pesquisa foi apresentada e debatida no Congresso Nacional da Associação Brasileira de Ensino em Psicologia (ABEP) e, junto a outros trabalhos semelhantes, fomentou essa importante discussão entre psicólogas (os) em nível nacional.

Conforme destacou Vanda, existe a Escola Nacional de Socioeducação e, no DEGASE, existe a Escola Socioeducativa, que promove a formação continuada às (aos) profissionais para os trabalhos na área, suprindo, assim, as falhas na graduação.

Por fim, Vanda enfatizou a importância da experiência de estágio na Socioeducação para a formação profissional dos estudantes de Psicologia, além da necessidade de estímulo e condições para aumentar a demanda de oferta de psicólogas (os) para a supervisão aos estagiários, ampliando esse debate com as universidades e a rede de serviços.

Encerrando a mesa de abertura, a psicóloga e diretora do Sindicato dos Psicólogos do Estado do Rio de Janeiro (SINDPSI-RJ) Denise dos Santos Malheiro (CRP 05/18051) fez uma fala enfatizando a importância da parceria entre o CRP-RJ e o SINDPSI-RJ. “A integração entre Sindicato e CRP é fundamental porque são duas representações fortes da categoria que precisam caminhar juntas. Eu penso que é assim que vamos nos fortalecendo como categoria, especialmente nesse momento de perda de direitos”, destacou.

IMG_4927

Grupo de trabalho debate propostas de diretrizes éticas e técnicas

Debate e votação de propostas

Após a mesa de abertura, as (os) participantes debateram as principais problemáticas e angústias relacionadas à atuação psi, tais como o lugar da (o) psicóloga (o) no CREAS, a produção de documentos, a capacitação incipiente para a atuação na área e a relação junto ao Poder Judiciário.

A seguir, as (os) participantes dividiram-se em três grupos de trabalho para debater e votar propostas, conforme os eixos temáticos: Eixo I – Papel das (os) psicólogas (os) no Sistema Socioeducativo, Eixo II – Produção de documentos e Eixo III – Direitos Humanos/Temas transversais. Ao todo, foram produzidas oito propostas, duas do Eixo I, duas do Eixo II e quatro do Eixo III.

Todas as propostas aprovadas nesse e nos demais encontros regionais serão sistematizadas e encaminhadas para votação na I Conferência, no dia 16 de agosto. As propostas aprovadas nesse encontro final servirão como material de referência para a produção de diretrizes para o exercício profissional da (o) psicóloga (o) na Socioeducação no Rio de Janeiro. Ainda, essas propostas serão enviadas ao Grupo de Trabalho Nacional “Atuação da Psicologia no Contexto das Medidas Socioeducativas”, composto por representantes do Sistema Conselhos de Psicologia, contribuindo para a construção de documento nacional de referências para atuação psi na área.