28 de junho – Dia Internacional do Orgulho LGBTI+

Categoria(s):  DIREITOS HUMANOS, NOTAS, Notícias   Postado em: 28/06/2019 às 15:50

lgbti_faceEm 28 de junho de 1969, o bar Stonewall Inn, em Nova York (EUA), um importante reduto da população LGBTI+, foi o palco de uma série de manifestações e protestos de membros dessa comunidade contra as frequentes investidas policiais no local. O motim durou três dias e ainda hoje representa uma data emblemática no grito LGBTI+ por liberdade de expressão e igualdade de direitos.

Por isso, no dia de hoje, celebrado como o Dia Internacional do Orgulho LGBTI+, o CRP-RJ convoca todas (os) as (os) psicólogas (os) a reafirmar, em suas práticas cotidianas, seu compromisso ético com a defesa e o respeito à diversidade sexual e de gênero.

O CRP-RJ aproveita a data para uma vez mais destacar a importância das Resoluções do Conselho Federal de Psicologia 001/1999, que veda à (ao) psicóloga (o) adotar ou difundir práticas de patologização da homossexualidade, a 001/2018, que proíbe a patologização da transexualidade e da travestilidade no âmbito da Psicologia, e a 010/2018, que estabelece que profissionais da Psicologia travestis e transexuais terão o nome social destacado na parte da frente da Carteira de Identidade Profissional.

É importante lembrar também que em junho de 2018, a Organização Mundial da Saúde retirou a transexualidade e a travestilidade do rol de doenças mentais. Apesar disso, ainda hoje há psicólogas (os) brasileiras (os) que insistem em defender terapias de conversão, a chamada “cura gay”, violando os princípios do Código de Ética e difundindo o preconceito, a marginalização e ações de violência que historicamente atingem a população LGBTI+.

Por isso, mais do que nunca, é preciso lutar pela defesa, em nossas práticas cotidianas como profissionais de Saúde Mental, do acolhimento à diversidade humana e a promoção da dignidade a todas (os), independente de sua identidade sexual e de gênero.

Não há cura para aquilo que não é doença!

CRP-RJ na luta por uma Psicologia que respeite, acolha e defenda a livre expressão das diversidades sexuais e de gênero!